Você é expatriado ou está tentando morar fora do Brasil?  Às vezes quando pensa em tudo que deixou (ou está deixando) para trás bate aquela tristeza por ter nascido em um país tão maravilhoso mas ao mesmo tempo tão problemático? E se eu te dissesse que você ainda pode lutar por um Brasil melhor mesmo não morando mais em terras tupiniquins?

Então continua lendo esse post que eu vou te mostrar 7 coisas que você pode fazer para mudar o Brasil aí de fora!

De acordo com dados fornecidos pela página do Itamaraty, mais de 3 milhões de brasileiros hoje residem fora do Brasil. Três milhões de pessoas certamente possuem três milhões de motivos diferentes para “abandonar” a pátria, mas acho que não vou errar muito ao fazer a seguinte divisão:

Muitas pessoas deixam o país porque simplesmente odeiam o Brasil e os brasileiros e não querem nunca mais pisar aqui. Se puderem, rasgam o passaporte brasileiro e não ensinam nem o português para seus filhos para deletar completamente seu passado tropical… Mas muitas pessoas também saem daqui para correr atrás de um sonho, para buscar um emprego que não conseguiram aqui no Brasil, ou para fugir da violência assustadora do nosso país. Ou seja… saem porque não tiveram escolha, mas, se tivessem, com certeza prefeririam morar no Brasil… mas num Brasil melhor.

Se você se encaixa nesse segundo grupo, então continua lendo, que este post vai te mostrar como construir este Brasil melhor na esperança de que um dia você possa voltar.

[Agora, se você é daqueles que odeia o Brasil, pode parar de ler por aqui, ok? Afinal, pra quê perder tempo com esse país detestável, não é? 🙂 ]

Eu mesma conheço este sentimento de “abandonar” a pátria amada… Como já contei aqui no blog, eu já morei durante 3 anos na França durante um intercâmbio na faculdade. A França era um país maravilhoso, mas eu morria de saudade da minha família, dos meus amigos, do nosso clima e também da nossa cultura! [Afinal, onde já se viu bares que chutam os clientes pra fora à 1h da manhã porque chegou a hora de fechar!?!? Só na Europa mesmo… Rsrsrs]

Então eu conheço bem esse sentimento de querer voltar, mas ao mesmo tempo não querer… porque o Brasil é tão bom, mas também é tão ruim… e porque não existe a menor esperança de um dia isso aqui melhorar…

Acontece que com o tempo eu eliminei esta última crença da minha cabeça e hoje eu acredito que podemos mudar o Brasil sim! Basta tirarmos a bunda da cadeira e colocarmos a mão na massa! E é exatamente por isso que hoje me dirijo a você, compatriota expatriado, para te dar um pouquinho de esperança e para te convidar a mudar o Brasil com a gente, mesmo daí de longe!

Quem sabe um dia você consiga voltar! 🙂

Então confira agora 7 coisas que você pode fazer para nos ajudar nessa luta:

1) Fale bem do Brasil no exterior

Você já conversou com um gringo sobre o Brasil? E na ocasião, qual foi sua reação? Meteu o pau, falou que o Brasil é uma merda, tinha muita violência, muita corrupção, que o povo brasileiro é malandro, que não se pode confiar em ninguém, que é impossível viver sossegado por lá? Ou você por acaso exaltou a alegria, o calor e a criatividade  do povo brasileiro? As praias maravilhosas, as comidas deliciosas, a pluralidade cultural?

Se você se encaixa no primeiro grupo, que mete o pau no Brasil. Pare agora mesmo!! 

Será que ajuda alguma coisa ficarmos humilhando nosso país por aí? Pense bem: se um gringo tiver uma imagem ruim do país, provavelmente ele não vai querer vir fazer turismo aqui, ele não vai querer fechar negócios aqui, ele não vai querer contratar um profissional daqui, ele não vai querer estudantes brasileiros no seu país, ele não vai tratar bem um turista brasileiro no seu país!

Você mesmo pode ser alvo de preconceito vivendo como expatriado em outro país!

Então pense bem!!! Isso é um grande tiro no pé!! Ainda mais no meio dessa crise econômica que vivemos hoje, nós precisamos de turistas, de exportação, de contratos comerciais!

Você acha, por exemplo, que a entrevista que este brasileiro deu à CNN internacional ajuda alguma coisa no sentido de nos tirar da crise ou será que só nos enterra mais no fundo do poço?

Já tratei deste assunto em outro post [se quiser ler mais, clique aqui], mas se você, expatriado, sonha em um dia voltar para um Brasil melhor, a primeira coisa que você deve fazer é mudar esse hábito horrível de falar mal do Brasil, estamos combinados!? 😉

2) Fique atento a tecnologias, comportamentos e iniciativas que poderiam ser aplicadas no Brasil

Sendo um expatriado, principalmente morando em países desenvolvidos, você está diariamente em contato com uma série de tecnologias, comportamentos e iniciativas excelentes que não existem por aqui, mas que poderiam mudar nossas vidas se estivessem aqui presentes.

Quando se deparar com alguma novidade dessas, não guarde para si mesmo! Compartilhe conosco, com seus amigos, ajude esta ideia ser implantada no Brasil!

Pode ser a coisa mais simples do mundo, como o comportamento dos dinamarqueses ao atravessar a rua, a cultura dos japoneses de devolver objetos perdidos, até as coisas muito mais avançadas, como uma tecnologia alemã de energia renovável que poderia levar eletricidade ao sertão brasileiro ou um componente químico desenvolvido na Austrália que tenha potencial de eliminar o mosquito da dengue.

Sempre que se deparar com uma ideia diferente dessas, procure refletir: como isso poderia ser aplicado no Brasil!? Que benefícios isso traria ao povo brasileiro?

Se conseguir, trabalhe para levar essa tecnologia ou ideia ao Brasil. Se a tecnologia pertencer à empresa em que você trabalha, convença seu empregador a investir no Brasil. Se a tecnologia pertencer a outra empresa, tente conversar com seus donos e mostrar que o Brasil tem muito potencial para absorver esta tecnologia. Ou então abra você mesmo uma empresa para trazer esta tecnologia ao nosso país.

Caso seja alguma coisa totalmente fora da sua área, ou caso você não conheça quem está por trás da iniciativa, nos envie um email para contar, que nós trataremos de divulgar essa ideia e de tentar encontrar alguém que esteja a fim de aplicar isso no Brasil!

____________________________________________________________________________________________________

Está gostando deste artigo e não quer mais nenhum?? Inscreva-se agora na nossa lista de emails para receber atualizações gratuitas!

____________________________________________________________________________________________________

3) Seja voluntário à distância de uma ONG brasileira

voluntariado a distancia

Sabia que isso existia!? Voluntariado à distância!? Pois é! Com a internet cada dia mais presente nas nossas vidas, diversas ONGs precisam manter seus sites, blogs e redes sociais atualizados todos os dias. E você, estando expatriado, pode ser um voluntário para ajudá-los à distância!

Se entende de programação, ofereça-se para fazer melhorias no site de alguma ONG. Se entende de marketing digital, ofereça-se para gerenciar sua página no Facebook ou sua conta no Instagram. Se escreve bem, ofereça-se para escrever posts para seu blog. Se possui muitos contatos no Brasil, ofereça-se para ajudar a recolher doações para a ONG.

Existem mil e uma possibilidades de ajudar uma instituição à distância, é só colocar sua vontade e criatividade em ação!

Dê uma pesquisada na plataforma Atados, que divulga vagas de voluntariado, e selecione a modalidade “trabalho à distância” no campo de busca. O site dos Caçadores de Bons Exemplos também é uma ótima ferramenta para encontrar projetos sociais e contacta-los diretamente para oferecer algum serviço de voluntariado.

4) Doe dinheiro a uma instituição brasileira de sua confiança

doação

Se o seu tempo está curto demais para contribuir como voluntário à distância, e se você tem um dinheirinho sobrando todo mês, por que não usá-lo para ajudar ONGs brasileiras? Procure uma instituição de sua confiança e contribua mensalmente com dinheiro mesmo.

“Ah, mas é muito caro transferir dinheiro pro Brasil!”, você pode estar pensando.

Pois eu te mostro que existem várias opções mais baratas de viabilizar estas doações: Transferwise, PayPal e cartão de crédito são algumas delas. Entre em contato com a ONG que escolher para se informar se é possível transferir dinheiro por um desses meios.

Se não conhece nenhuma ONG ou projeto social de confiança no Brasil, peça a algum amigo que more aqui para visitar a iniciativa e te dizer se parece de confiança ou não. Ou então entre no site dos Caçadores de Bons Exemplos para encontrar vários projetos que já foram visitados por eles e que, portanto, são confiáveis.

Mas não se esqueça: cobre sempre uma boa transparência da instituição de sua escolha. Peça um demonstrativo dos gastos e investimentos da instituição. Falamos um pouco sobre isso em um post anterior: transparência é fundamental!

5) Crie ou trabalhe para um negócio social que procure resolver problemas sociais no Brasil

Se você não sabe o que é um negócio social, pode ler mais aquiaqui e aqui, mas em resumo, trata-se de uma empresa que gera lucros como quaisquer outras, mas que tem como missão resolver um problema social.

Não necessariamente os negócios sociais precisam estar localizados no país em que geram o benefício. Muitas vezes eles podem gerar lucro em um país e reverter este lucro a uma ONG local que se encarregará de aplicar o dinheiro num projeto social.

A TOMS e a charity: water são dois exemplos de empresa e ONG localizadas nos Estados Unidos, mas que geram benefícios em outros países de outros continentes como Ásia e África. Então porque você, expatriado, não poderia criar um negócio social na Itália ou Austrália que gere benefícios no Brasil?

Como negócios sociais geram lucro, eles costumam pagar salários a preço de mercado, então você  pode não só garantir o seu sustento, como também preencher sua alma com a satisfação de estar fazendo o bem pelo seu país.

Se gostou da ideia, você pode procurar maiores informações sobre negócios sociais nos sites da Artemisia e Yunus Negócios Sociais.

6) Seja investidor em negócios sociais no Brasil

Se você estiver feliz no seu emprego aí no exterior e não quiser largar tudo para trabalhar em um negócio social, ainda existe outra maneira de ajudar. O conceito de negócio social permite que investidores coloquem dinheiro na empresa e que o recuperem futuramente sem nenhum ganho financeiro.

Pensando no seu próprio bolso, trata-se de uma forma de ajudar até melhor que a simples doação de dinheiro, porque depois de alguns anos você recupera seu dinheiro ao invés de simplesmente “perdê-lo”. [Para mais informações sobre como investir em um negócio acelerado pela Yunus Negócios Sociais, clique aqui.]

A plataforma Kiva (sem fins lucrativos) também é outro método muito interessante para emprestar dinheiro para pessoas necessitadas que queiram utilizá-lo para pagar sua escolaridade, reformar a casa ou comprar material para seu negócio. Mais de 1,5 milhões de pessoas já doaram dinheiro através da Kiva, mais de 2 milhões de pessoas já foram beneficiadas e a taxa de devolução do dinheiro é de 97,2% (ou seja, o risco de você perder seu dinheiro é muito baixo)! Não encontrei nenhuma causa brasileira neste site, talvez isso surja com o tempo.

Mas se você quer salvar o Brasil, por que não salvar o mundo também!? Confira o site deles, vale a pena!

7) Compartilhe notícias do bem

compartilhando o bem

Por fim, conforme escrevi num post anterior, compartilhar notícias e exemplos do bem é fundamental para o sucesso de qualquer projeto social. Ao compartilharmos notícias do bem, estamos inspirando todos ao nosso redor a fazer o bem igualmente. Além disso, as pessoas frequentemente imitam aqueles ao seu redor. Esse comportamento é conhecido como “mentalidade de rebanho”.

Já reparou que quando estamos procurando um restaurante numa região desconhecida, sempre vamos naquele estabelecimento que tem mais gente? “Se tem muita gente lá é porque deve ser bom!”. Pois é o mesmo raciocínio: se tem muita gente fazendo alguma coisa, é porque deve ser uma boa ideia.

Lembra-se daquele desafio do balde de gelo que viralizou na internet? Pois a intenção dele era promover a conscientização sobre a doença Esclerose Lateral Amiotrófica. A cada desafio cumprido, uma doação à Associação ELA. Resultado? De acordo com o New York Times, dentro de algumas semanas, a instituição recebeu cerca de U$115 milhões em doações. Isso foi quase cinco vezes o valor que a instituição havia recebido no último ano inteiro! Por que? Porque todo mundo estava cumprindo o desfio… E compartilhando nas redes sociais!!

Por isso que, mesmo sendo expatriado, mesmo estando distante daqui, é importantíssimo que você continue compartilhando iniciativas do bem para inspirar todos que ainda permanecem na pátria amada.

Então comece agora mesmo a fazer sua parte! Compartilhe este artigo do bem com seus outros colegas brasileiros expatriados! Vamos formar uma corrente mundial de apoio ao Brasil!