Hoje me inspirei para escrever sobre leitura, e o motivo para isso é porque estava lendo um livro – obviamente – inspirador no meu trajeto diário de metrô. O nome do livro é O Que Eu Sei de Verdade, da Oprah Winfrey. É inspirador porque fala sobre espiritualidade, sobre desenvolver suas forças interiores, sobre ser a melhor versão de você mesmo, sobre seguir seus sonhos ao invés de seguir o que os outros acham que é melhor para você.

Conforme lia, percebia o quanto aquele livro estava fazendo bem para mim e o quanto valia a pena eu estar ali investindo meu tempo para aprender e alimentar a minha alma com boas experiências de vida.

Mas quando olhei para os lados, o que vi? Uma ou outra pessoa engajada em algum outro livro, mas a grande maioria fazendo o que…? Perdendo tempo jogando Candy Crush!! [Hahaha, exagero meu… não necessariamente Candy Crush, mas pode olhar ao seu redor quanto tempo as pessoas passam no transporte público jogando joguinhos diversos no celular…]

Veja bem, não que eu esteja dizendo que é um crime perder tempo jogando joguinhos ao invés de ler. Joguinho é uma forma de lazer, e todo mundo merece lazer. Mas sinceramente, esta é a forma de lazer que você considera perfeita? Ou lazer para você é dar uma volta no parque com a sua família, ir a um bar com os amigos, caminhar pela praia…?

Voltando ao raciocínio aqui… Você não morreria se deixasse de jogar Candy Crush no metrô… Aposto ainda que você nem faz questão de jogar Candy Crush e só joga porque não tem mais nada pra fazer mesmo enquanto espera chegar ao trabalho…

Então eu te sugiro uma coisa: por que você não experimenta trocar o joguinho por uma boa leitura durante seu trajeto diário? [Ok, ok, algumas pessoas não conseguem exigir muito da mente logo cedinho pela manhã… Mas que tal na volta do trabalho para casa?]

Quando eu morava na França e pegava o metrô todos os dias, o que eu mais via era a galera lendo livro. Ninguém ficava de papinho furado no metrô não, todo mundo no seu mundinho lendo alguma coisa… Ok, ok, o ano era 2007 e os smartphones ainda não estavam bombando como hoje… Nem sei aliás se eles mantém esse costume até hoje, vai ver a tecnologia estragou eles também… E nem estou falando “Oh, os franceses são melhores que os brasileiros porque leem mais livros”, só estou relatando uma diferença cultural.

Mas na minha sincera opinião, se mudássemos essa cultura do brasileiro não se interessar por leitura, conseguiríamos formar uma sociedade muito mais evoluída e, portanto, construir um país melhor.

Sabe por que? Porque livro é cultura, livro é educação, e num país onde o sistema educacional é tão deficiente, por que não incentivamos que as pessoas aprendam por conta própria!?

Não tem dinheiro para pagar um curso de marketing? Existem milhaaaaares de livros sobre marketing! Não tem dinheiro para pagar um curso de finanças? Existem milhaaaaares de livros sobre finanças! Existem milhaaaaares de livros sobre milhaaaaares de assuntos!

Quer fazer o teste? Pense num assunto sobre o qual você gostaria de aprender. Entre no site de uma livraria qualquer e jogue esse assunto no campo de buscas. Com certeza vai encontrar algum livro que te ensine isso!

E se não estiver a fim de aprender nada específico, por que não ler uns livros de auto-ajuda que tratam sobre como ser uma pessoa melhor? Uns livros sobre espiritualidade? Produtividade? Criatividade? Uns livros sobre história do Brasil? [Acredite! Tem muitos livros interessantíssimos sobre isso! Recomendo por exemplo, o 1808, do Laurentino Gomes.]

E se não gostar de nada disso, por que não ler um livro de romance ou de ficção? Será certamente uma forma de lazer – se o livro for bom – e vai exercitar melhor sua mente do que o joguinho do celular.

Por fim, se você ainda está arrumando desculpas para não ler e acha muito pesado carregar livros para lá e para cá, compre um e-reader (Kindle, Kobo, Lev…). Se o e-reader é muito caro, use os aplicativos correspondentes para ler e-books do seu próprio celular! Se não consegue ler no ônibus chacoalhando porque fica enjoado, experimente ouvir audio-books! Realmente não há desculpa que não possa ser rebatida! Rsrsrs

Só pra finalizar então… Quer jogar Candy Crush, pode jogar. Só estou deixando a sugestão para que você abra sua cabeça e experimente outras formas de lazer que te farão uma pessoa melhor e contribuirão para um Brasil melhor.

O que você acha? Deixe sua opinião nos comentários, curta e compartilhe a matéria no Facebook!

Créditos da imagem: Designed by Freepik