Você se empolgou com a ideia de Negócio Social que eu apresentei neste post?

Hoje eu trago para você os 7 princípios que definem um verdadeiro Negócio Social de acordo com Yunus:

1) O objetivo do negócio será redução da pobreza ou outros problemas (como educação, saúde, acesso a tecnologia e meio ambiente) que ameaçam as pessoas e a sociedade, e não a maximização dos lucros – Lucros serão bem-vindos sim, mas não para benefício pessoal dos investidores, apenas para ser reinvestido no negócio para sua própria ampliação.

2) O negócio deve ser financeira e economicamente sustentável – Contar apenas com doações não é uma forma sustentável de operar uma organização. Além disso disso, a saga constante para arrecadar fundos gasta muito tempo e energia dos recursos humanos. A capacidade de ser auto-sustentável faz do negócio social uma solução com potencial de causar impacto bem maior do que a mais bem gerida instituição de beneficência.

3) Investidores recebem de volta somente o valor investido. Nenhum dividendo é pago além do dinheiro investido. Nem mesmo a correção da inflação! – Yunus explica que esta definição é importante para deixar bem claro que o objetivo das pessoas que querem investir em um negócio social é única e exclusivamente fazer o bem para a sociedade, e não obter benefício próprio.

4) Depois que o dinheiro for devolvido aos investidores, o lucro fica na empresa para ampliação e melhorias – Isso ajuda o negócio a expandir e beneficiar cada vez mais pessoas.

5) O negócio social deve ser ambientalmente consciente – Como podemos querer resolver um problema social causando um problema ambiental, não é mesmo!?

6) Colaboradores recebem valor de mercado com melhores condições de trabalho – Essa aqui é super importante! O negócio social vai competir em um mundo capitalista. Para sobreviver, deverá atrair os melhores profissionais do mercado, e, para isso, oferecer bons salários e melhores condições de trabalho! Acredite: muitas pessoas vão preferir trabalhar em um negócio que cause um impacto importante para a sociedade do que aceitar um emprego do qual não gostam somente pelo dinheiro. Se você oferecer salários muito baixos, pode afugentar talentos preocupados em garantir sua própria sobrevivência.

7) … fazer tudo isso com alegria! – Porque nós sempre fazemos melhor aquilo que GOSTAMOS de fazer!!

O que achou desses princípios!? Deixe nos comentários sua opinião!!

Achou muito exagerada a história de nunca obter benefícios próprios quando se cria um negócio social? Relaxa que que você ainda tem outras opções! Mostrarei isso em posts futuros!

Créditos da imagem: Selected by freepik