Você já ouviu falar em negócio social? Faz ideia do que seja? Caso negativo, então prepare-se, pois esta é uma ideia revolucionária que pode ser a futura salvação para o Brasil e muitos outros países subdesenvolvidos.

O conceito de negócio social foi concebido por Muhammad Yunus, ex-professor de economia e banqueiro de Bangladesh que ganhou o prêmio Nobel da Paz em 2006.

Yunus era um professor bem sucedido que lecionava em uma conceituada faculdade de Bangladesh, mas ele não se conformava com a extrema condição de pobreza à qual eram submetidas milhões de pessoas em seu país. Decidido a agir para mudar esta situação, Yunus visitou uma aldeia e conversou com diversas mulheres que, em busca de sustento, se endividavam com agiotas e viviam sob condições próximas à escravidão. Ele decidiu então emprestar seu próprio dinheiro a 42 mulheres (apenas 27 USD era o suficiente!) cobrando taxas normais praticadas no mercado.

Em pouco tempo, recebeu todo seu dinheiro de volta – o montante inicial mais os juros – e livrou aquelas mulheres das garras dos agiotas. Foi aí que pensou seriamente em expandir seu negócio e fundou o Grameen Bank – o banco dos pobres.

Hoje, o Grameen Bank empresta dinheiro a mais de 8,8 milhões de pessoas e promove uma grande mudança na vida destas famílias, dando chance às pessoas de saírem da pobreza por meio de seu próprio esforço, concedendo empréstimos a preços acessíveis aos filhos dos mutuários para que eles cursem uma faculdade, encorajando o empreendedorismo, entre outros.

Mas o mais interessante sobre o Grameen Bank é sua filosofia de gestão: ele é um banco que obtém lucros sim, mas os lucros são 100% reinvestidos no próprio banco para permitir sua expansão. NADA vai para os bolsos de seus acionistas.

E este é o conceito fundamental de um negócio social: uma empresa auto-sustentável cujo único objetivo é eliminar a pobreza (ou outro problema social específico).

Esqueça a ideia de que projetos sociais somente sobrevivem através de doações. Esqueça a ideia de que você só pode salvar o mundo se fizer voto de pobreza, se fizer apenas trabalhos voluntários e não remunerados.

O negócio social é uma empresa como qualquer outra, que paga salários a preços de mercado e ainda dá melhores condições de trabalho aos seus funcionários. É uma nova forma de capitalismo que vai revolucionar o que entendemos por filantropia.

Em posts futuros, trarei mais detalhes sobre este conceito. Por enquanto, se você não aguentar a curiosidade, visite o site do Grameen Bank, do Yunus Center ou leia este livro, escrito pelo próprio Yunus.

Ah! E deixe nos comentários o que você acha desta ideia!

Até a próxima!

Créditos da imagem: Designed by Freepik